News

Entrevista com a Dra. Carla Tamler publicada na revista especializada Les Nouvelles Esthetiques. Tema: A pele e o frio.

O frio pode modificar a aparência e a beleza da pele, deixando-a mais ressecada e áspera, chegando até a descamar em algumas áreas. Quem tem pele oleosa pode sofrer ainda mais com o aumento da produção de sebo nesta época do ano.

1- É certo dizer que as baixas temperaturas favorecem alergias, eczemas, dermatites seborreicas e outros problemas dermatológicos?

Sim, o inverno é o período em que mais surgem e se agravam alergias ou irritações de pele, como dermatite seborreica, dermatite atópica e psoríase, por exemplo. Dias mais frios e com pouca umidade do ar são uma combinação típica do inverno – e perigosa para a pele. Algumas partes do corpo, como cotovelos, joelhos, pernas e calcanhares, são as primeiras a exibir sinais de ressecamento. As peles sem hidratação tendem a descamar, e as rugas se acentuam.

2- Por que isso acontece? Tem explicação essa tendência?

No frio, a menor ativação das células que produzem o manto hidrolipídico da pele, o hábito de tomar banhos quentes e demorados e a menor ingestão de água tornam a pele mais seca, diminuem sua proteção natural e a deixam mais suscetível a doenças, alergias e/ou infecções.

3- Como podemos evitar esses problemas? De uma maneira geral, quais os cuidados com a pele nos meses de frio?

Em geral, os cuidados essenciais são:

* Banho – O ideal é tomar banho morno, mais para frio, e breve (máximo 10 minutos). Nada de sabonetes antissépticos, que ressecam a pele. Use os neutros e evite provocar atrito excessivo com buchas e esfoliações.

* Hidratação – O ideal é optar por hidratantes corporais em creme, que são mais concentrados e espessos do que as loções cremosas. A aplicação deve ser diária, preferencialmente após o banho, pois a pele úmida facilita a absorção. Associar hidratantes e óleos de banho é ótimo, pois potencializa a hidratação. Em relação à face, é fundamental escolher o produto conforme o tipo de pele.

* Alimentação – Em épocas mais frias, tendemos a beber menos água e a ingerir alimentos gordurosos. Isso não é nada bom. A falta de água, associada ao desequilíbrio alimentar, contribui para o ressecamento da pele. Manter uma dieta equilibrada e ingerir cerca de 2 litros de água/dia, portanto, é essencial para manter uma pele saudável.

* Filtro solarÉ importante lembrar que, no inverno, também estamos expostos às radiações ultravioletas. Por isso, não se esqueça do filtro solar! A escolha do ideal para o seu tipo de pele é variável e deve ser orientada por um dermatologista. E não adianta passar somente de manhã, antes de sair de casa. É preciso reaplicar a proteção ao longo do dia.

* MaquiagemA maquiagem também deve ser bem escolhida, respeitando o tipo de cada pele. Existem pós e bases que minimizam imperfeições, oferecem efeito matificante e proteção solar. Alguns produtos têm ação dupla: hidratam as áreas secas e minimizam o brilho nas oleosas. Há também bastões com protetores labiais e componentes hidratantes.

3.1- Especificando: para cada tipo de pele (oleosa, seca, sensível, acneica), um cuidado diferente? Sim ou não, pode explicar?

Com certeza. Por isso, a importância do acompanhamento de um dermatologista, para indicar sempre o produto mais adequado para cada pele. Por exemplo, adolescentes com acne costumam lavar o rosto várias vezes ao dia, na tentativa de minimizar a sensação de pele oleosa. É um erro. A lavagem excessiva estimula o ressecamento da pele. O organismo produzirá mais oleosidade, para compensar a desidratação. E isso tende a agravar o quadro de acne. Também é preciso ter cuidado com os produtos utilizados no dia a dia, no período de inverno. Se eles estiverem ressecando demais a pele, esta pode reagir com o mesmo mecanismo compensatório de maior produção de oleosidade. Pessoas com a pele oleosa devem usar produtos para hidratar a face com formulações livres de óleos: à base de água, em gel ou gel-creme são os mais indicados, mesmo nos períodos mais frios.

4- Quanto aos cosméticos, é importante também adaptá-los para a estação do ano? Por quê?

Sim. O cosmético deve ser adaptado não só ao tipo de pele e idade do paciente, mas de acordo com estação do ano. No inverno, como dito anteriormente, tendemos ao maior ressecamento e sensibilidade. No verão, com a maior exposição solar, a pele tende a mais manchas e, em alguns casos, maior oleosidade e lesões acneicas.

5- Concentrações de substâncias, tipos de ativos, consistência e textura dos produtos, tudo é importante? Por quê?

Sim. Basicamente, ao examinar o paciente, devemos não só considerar sua pele e idade, sensibilidade, histórico de doenças e alergias, e sim tudo que envolve sua rotina. Se viaja com frequência, nível de exposição solar, estação do ano em vigor e por aí vai. Daí ser tão importante a personalização de cada receita.

6- Quais os benefícios para a pele desses cuidados característicos da estação? São benefícios extras?

Se a cada estação obedecermos os cuidados adequados, obviamente respeitando o tipo de pele, alergias, sensibilidades, enfim, características de cada um, certamente teremos uma pele saudável, bela, hidratada e o mais livre de manchas possível.

7- Quais os ativos mais indicados nos cosméticos para os meses mais frios?

O tratamento varia de acordo com o objetivo proposto. O fundamental é procurar orientação, pois os tratamentos são individualizados: variam de acordo com o tipo de pele, individualidades, estilo de vida. No inverno, tendemos a indicar produtos à base de ácidos combinados a despigmentantes.

8- Os ativos podem ser mais fortes por conta da baixa incidência solar, por exemplo?

De uma maneira geral, se com as orientações adequadas, sim.

9- Diria que é a melhor época para fazer tratamentos com ácidos? Por quê? O que recomenda e com que objetivo? Pode dar um exemplo?

Sim. No inverno, a exposição solar torna-se menos intensa. Os ácidos tratam, rejuvenescem, porém deixam a pele mais fina e mais suscetível aos malefícios do sol. Assim, os dias mais frios são os mais adequados para os tratamentos dermatológicos, incluindo os realizados em consultório (peelings e lasers), já que a a distância do sol torna a recuperação mais rápida, com menos inchaço e menor desconforto, causados pelo calor.

9.1-O que recomenda de tratamento nos meses frios para cada tipo de pele (seca, oleosa, sensível, acneica)?

O tratamento em si é muito variável, de acordo com os objetivos traçados pelo paciente e dermatologista. Em relação ao veículo, nos meses frios, a pele seca, de uma forma bem global, é tratada com o veículo creme; a oleosa e acneica, com gel-creme ou substâncias à base de água; a sensível, com séruns e/ou cremes.

9.2- Peles sensíveis necessitam de atenção especial porque se irrita mais facilmente?

Sim.

10- Também é a época mais propícia para caprichar nos hidratantes por conta dos dias mais frios e secos?

Sem dúvida.

11- Como devem ser os hidratantes? Em cremes ou manteigas corporais, por exemplo? Por quê? Até as peles oleosas?

Para o corpo, o ideal é optar por hidratantes corporais em creme, que são mais concentrados e espessos do que as loções cremosas. A aplicação deve ser diária, preferencialmente após o banho, pois a pele úmida facilita a absorção. Associar hidratantes e óleos de banho é ótimo, pois potencializa a hidratação. Em relação à face, é fundamental escolher o produto conforme o tipo de pele. Para o rosto, no caso de peles oleosas, atualmente dispomos de diversos produtos destinados à hidratação deste tipo específico de pele. São produtos com efeito matificante e veículos mais leves que os cremes habituais.

 11.1- Não se deve esquecer dos umectantes labiais, correto? Batons hidratantes resolvem para evitar rachaduras? Aplicar duas vezes ao dia ou mais? Indicaria outro produto?

Sim. Muitos hidratantes labiais têm bons resultados. O número de aplicações é variável de acordo com o caso. Produtos como Bepantol Derma e Cicaplast Baume B5 também têm bom efeito para este fim.

11.2- A proteção solar também não deve ser esquecida, apesar de o sol parecer inofensivo. FPS 15 é suficiente?

É importante lembrar que, no inverno, também estamos expostos às radiações ultravioletas. Por isso, não se esqueça do filtro solar! A escolha do ideal para o seu tipo de pele é variável e deve ser orientada por um dermatologista. E não adianta passar somente de manhã, antes de sair de casa. É preciso reaplicar a proteção ao longo do dia.

 11.3- Pode dar dicas de coisas a evitar na temporada de frio? Por exemplo: apesar de ser convidativo, melhor evitar banhos quentes e demorados para não ressecar a pele. O que mais?

•Evitar banhos quentes e longos

•Evitar sabonetes antissépticos

•Não esfoliar em excesso

•Evitar comidas muito gordurosas

•Evitar a pouca ingestão de água

•Não se expor ao sol sem filtro solar

12- Enfim, tudo o mais que considerar fundamental sobre o tema “a pele e o frio.”

Cuidados como os mencionados acima são essenciais para manter a pele saudável nesta época. Ao mesmo tempo, essa estação também é indicada para tratamentos cosmiátricos, laserterapia e cirurgia, já que muitos deles exigem distância do sol.

Leia mais »

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *